segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Terra dos sonhos





Cláudia Magalhães


O teu sorriso devorava encantadoramente os meus pensamentos, contrastando e, por isso, enaltecendo, o som melancólico da música Send in the clowns, na voz inconfundível de Carmem MacRae, enquanto eu dirigia embevecida, em direção ao nosso apartamento. Será esse sorriso que ele me dará como grata recompensa quando eu lhe mostrar a grande surpresa da noite: As nossas passagens para a Terra dos Sonhos, Paris! A nossa primeira viagem depois de dois anos de casados. Lá, na terra mágica, ele me fará um filho, Vinícius, ou uma filha, Diadorim... Pensei, deixando-me embriagar, sem rédeas, pelo encanto da tua bela imagem que me guiava. Ah, o teu sorriso... A minha ligação com o divino. Nele, se acham contidas todas as leis do amor, todo o poder dos sentidos... Ele estava tão presente, tão luminoso em meus pensamentos, que não enxerguei o carro a minha frente... Escuro.
Perdi os movimentos do corpo. Deitada numa cama, em tempo integral, passei a viver sob os cuidados de terceiros. Nos três primeiros meses, chorávamos juntos, todas as noites... Um dia, acordei com um suave beijo na testa. Abri os olhos devagar e vi o teu rosto. As mesmas feições, os mesmos gestos, o mesmo nome... Mas não era você! Procurei algo humano em teu olhar, piedade talvez, mas foi um grande vazio que encontrei. Depois de um longo e pesado silêncio, você chorou... E o teu choro confirmou o que eu já sabia... Você lançou um olhar vago pelos arredores do quarto, deu-me as costas e partiu. Tentei gritar, mas a voz me escapava. Incapaz de realizar o menor gesto de espanto e de dor, paralisada, enrijecida, recebi a tua ingratidão e o escárnio do destino. O vazio que você deixou encheu o quarto e tornou-se o meu universo.
Um ano se passou. O meu coração transformou a saudade, o horror do nada, numa aliada esperança. Fazendo uso das sete cores, dá vida ao passado que chega até a mim em forma de sonhos... Sonhos de amor, sonhos de loucura... Entro neles através do teu sorriso. Ele vira o teto do mundo. Derrete a mobília, derruba as paredes do quarto e nos revela a terra dos sonhos... Estamos em Paris... Fazendo amor como quem faz poesia. Rompendo os limites da carne, confundindo as nossas almas, fazemos um filho... E o fim transcende o nada e torna-se começo.
Sei da existência de amores nobres. Eles correm pela vida. Raramente coincidem. Vivem uma série de enganos e morrem com o seu próprio veneno! Estou morta. O meu coração, louco, rejeita a minha condição. Fiel ao seu sentimento, tentando tornar perfeito o imperfeito, alimenta-se de sonhos, das lembranças do gosto das maçãs e, com grande pressa, continua batendo...

18 comentários:

Mulher na Janela disse...

é na crença em que haja nobreza no amor que seguimos vivendo... palavras como as suas nos alimentam a esperança.

beijos...

Iara

Moacy Cirne disse...

Pra quem se deixa "embriagar, sem rédeas", sob a magia de um sorriso, tudo é possível, tudo é realidade (textual ou não). Beijos.

Rodrigo Soares disse...

Mais uma vez viajando nos seus textos! Uma perfeição minunciosa, que faz com que nós, leitores, nos sintamos personagens!

Adoro! hehe

Beijão Claudinha!!

Muita Luz! ;D

Cristina Carla disse...

gente, essa minha amiga é mto barra, orgulho d vc!

Ricardo Medeiros disse...

O Amor, por maior que seja, ele corre pela vida...Quem o vive, vive uma série de enganos e um dia morre com seu próprio veneno.
Lindo, porém trágico é esse negócio de amor...
Adorei a "Terra dos sonhos". O tema é bem sugestivo.
Beijão Claudinha...

VERBO SOLTO disse...

Estupendo!!!!!!!

O Pensador disse...

Genial como de costume, sempre com elementos que são produtos de uma junção "melancolicamenterelativazante" ao amor maior, é um texto belo e ineteressante, segurra os olhos do leitor como se fosse força sobrenatural e os mantém pregados a tela do computador enquanto as ultimas palavras são digeridas pelo intistino do intelecto.

Márcio disse...

Texto temperado com fumaça de cigarros!! Lindo.

p.s- Cabei deixando a Coca pra vocês, né? auhauh Esqueci geral, sorry!

Nalva Melo cafe salão disse...

..se ao menos restasse a gratidão de quando éramos dois.. teria me sobrado um braço. salve,salve o alvo dos teus sonhos!

www.cefascarvalho.blogspot.com disse...

Mais um belo conto, minha Linda! Paris, Vinicius, Diadorim... sou mais que suspeito para comentar ou elogiar o texto ou seu talento. Que venham mais. E que venha a Terra dos Sonhos!. Beijos.

Azcar disse...

Viajamtemente enigmático, num crepusculo redundante da vida de uma mulher decidida e talentosa...
Bjus

Daniel Azcar

Makarios disse...

Maravilha!
Pena que vc escreve sem considerar que são curtos os movimentos de sua ação e isso nos deixa com a vontade de ler um pouco mais seu discurso. Experimente uma narrativa com uma diegese mais complicada, para poder desenvolver mais o seu modo de falar...
Parabéns!
Beijos

diegobrown23 disse...

quaze me vejo em seus textos.
por qe o amor é tão melancólico???
amo-te!!!

Regina disse...

Os sonhos alimenta a alma, e nos dá esperança...e "vira o teto do mundo"...
Terra dos sonhos, como é bom viver!
Beijos

meire disse...

Cláudia, que belo:
"O vazio que você deixou encheu o quarto e tornou-se o meu universo."

Pura poesia !! Beijos!

Gilmar Leite disse...

Eita que tanto lirismo a flor da pele. Terra de sonhos são os caminhos que percorremos no mundo de tanto encontros e desencontros. É bom caminhar no seu mundo, porque ele termina sendo nosso, numa interaç~çao de sentidos e significados. É bom ser suduzidos pelo mundo da palavras, e as suas, tem grandes trejetos encantadores. Veleu!Parabéns.Poeta Gilmar Leite

May Pontes disse...

como ser humano falho q somos, sempre colocamos nossas esperanças,nossas felicidades em outra pessoa...o dificil é saber da ingratidão do mesmo...dedicar tanto tempo a alguem q na primeira dificuldade descobre q ñ pode infrenta-la, ao nosso lado...

te odeio pq vc vai me esquecer! te adoro pq...TE ADORO!

Claudinha vc escreve com uma simplicidade, que chega a fazer com que a gente se sinta como o proprio personagem,como se a historia tivesse acontecido com a gente,tanto q tenho certeza q todos q leram lembrarm de algum fato onde foram abandonados por alguem q amava muito...

xero minha linda e muito mais sucesso pra vc!!

May Pontes

Paulo disse...

Claudinha,
Pelo Amor de DEUS... Quanta inspiração! Você deve estar num emaranhado de deuses que atiçam e enfetiçam, pois escreves divinamente bem.És Deusa serena e tua alma é grande, Eia!
Sou teu fã.
Paulinho